Ruído x Saúde. Efeitos, consequências e precauções.

Data e Hora  artigo publicado em 20/04/2010

O que é o ruído?

Ruído é, por definição, um som indesejável. Ele varia em sua composição em termos de frequência, intensidade e duração. Sons que são agradáveis para algumas pessoas podem ser desagradáveis para outras. Por exemplo, os sons de música poder ser divertidos para alguns, mas outros já os consideram lesivos. Então, para um som ser classificado como " ruído ", este deve ser julgado pelo ouvinte.

Perda de audição induzida por ruído

A exposição contínua a níveis de ruído superiores a 50 decibéis pode causar deficiência auditiva em algumas pessoas. Há variação considerável de indivíduo para indivíduo relativa à susceptibilidade ao ruído. Entretanto, padrões têm sido estabelecidos que indicam o quanto de som, em média, uma pessoa pode tolerar em relação ao prejuízo de sua saúde.

Níveis toleráveis de poluição sonora - os índices de poluição sonora aceitáveis estão determinados de acordo com a zona e horário segundo as normas da ABNT (n.º 10.151). Conforme as zonas os níveis de decibéis máximos permitidos nos períodos diurnos e noturnos são os seguintes:

Área Período Decibéis (dB)
Zona de hospitais
 
Diurno 45
Noturno 40
Zona residencial urbana
 
Diurno 55
Noturno 50
Centro da cidade (negócios, comércio, administração)
 
Diurno 65
Noturno 60
Área predominantemente industrial
 
Diurno 70
Noturno 65

Atenção! O ruído pode prejudicar você.

Muitos sons em nosso ambiente excedem estes padrões e a exposição contínua a esses sons pode causar até a perda da audição. A diferença em níveis de decibéis é maior do que se poderia esperar: 100 vezes mais energia sonora entra nos ouvidos em um ambiente de 95 dB do que num ambiente de 75 dB.

A perda auditiva típica observada com as pessoas que possuem uma longa história de exposição a ruído é caracterizada por perda de audição na faixa entre 3000 e 6000 Hz . Na fase precoce à exposição, uma perda de audição temporária é observada ao fim de um período, desaparecendo após algumas horas. A exposição contínua ao ruído resultará em perda auditiva permanente que será de natureza progressiva e se tornará notável subjetivamente ao trabalhador no decorrer do tempo.

Estas mudanças nos limiares auditivas podem ser monitoradas através de testes audiométricos e isto alertará os médicos que as medidas preventivas deverão ser iniciadas. Nos estágios avançados, uma perda de audição nas frequências altas afetará seriamente a habilidade para entender a fala normal. Em geral, pessoas com perdas auditivas nas frequências altas não experimentarão dificuldades para detectar a fala, mas terão problemas para entender conversações.

VOLUME REAÇÃO EFEITOS NEGATIVOS EXEMPLOS
TABELA DE IMPACTO DE RUÍDOS NA SAÚDE
Até 50 dB Confortável (limite da OMS) Nenhum Rua sem tráfego
Acima de 50 dB O organismo humano começa a sofrer impactos do ruído
De 55 a 65 dB A pessoa fica em estado de alerta, não relaxa Diminui o poder de concentração e prejudica a produtividade no trabalho intelectual. Agência bancária
De 65 a 70 dB
(início das epidemias de ruído)
 
O organismo reage para tentar se adequar ao ambiente, minando as defesas Aumenta o nível de cortisona no sangue, diminuindo a resistência imunológica. Induz a liberação de endorfina, tornando o organismo dependente. É por isso que muitas pessoas só conseguem dormir em locais silenciosos com o rádio ou TV ligados. Aumenta a concentração de colesterol no sangue. Bar ou restaurante lotado
Acima de 70 dB O organismo fica sujeito a estresse degenerativo além de abalar a saúde mental Aumentam os riscos de enfarte, infecções, entre outras doenças sérias Praça de alimentação em shopping centers
Ruas de tráfego intenso

Obs.: o quadro mostra ruídos inseridos no cotidiano das pessoas. Ruídos eventuais alcançam volumes mais altos. Um trio elétrico, por exemplo, chega facilmente a 130 dB(A), o que pode provocar perda auditiva induzida, temporária ou permanente.

Outras consequências à saúde com relação a exposição ao ruído

O ruído é conhecido por ter efeitos nocivos não somente sobre a audição, causando estresse em todo o sistema circulatório, respiratório e digestivo. Exposição prolongada ao ruído pode causar dores de cabeça, cansaço e elevação da pressão arterial.

O ruído pode interferir no aprendizado de crianças e até mesmo afetar uma criança por nascer. Se você contribuir para a redução do ruído em seu ambiente, cada órgão de seu corpo, assim como das demais pessoas ao seu redor, estarão sendo beneficiadas.

Conservação de audição - o que você deve fazer?

 

  1. Afastar-se do ruído o máximo possível;
  2. Usar protetor auditivo individual quando o ruído for inevitável ou não puder ser paralisado;
  3. Reduzir o tempo que você se expõe ao ruído;
  4. Reduzir o ruído em sua fonte.
shadow

Pesquise aqui por soluções, produtos ou notícias:


Slogan
Subir